Hepaids 2017 abriga 46ª reunião da Comissão de Articulação com os Movimentos Sociais

Hepaids 2017 abriga 46ª reunião da Comissão de Articulação com os Movimentos Sociais

Hepaids 2017 abriga 46ª reunião da Comissão de Articulação com os Movimentos Sociais
Atividade fez parte da programação paralela do 11º Congresso de HIV/Aids e 4º Congresso de Hepatites Virais em Curitiba

Representantes de organizações da sociedade civil participaram nesta terça-feira (26/09), em Curitiba (PR), da 46ª reunião da Comissão de Articulação com os Movimentos Sociais em Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), HIV/Aids e Hepatites Virais (CAMS).  A atividade faz parte da programação paralela do 11º Congresso de HIV/Aids e 4º Congresso de Hepatites Virais (HepAids 2017), realizada na capital paranaense até sexta-feira (29/09).

A CAMS – que tem o papel de assessorar na formulação e implementação das políticas públicas para IST, HIV/aids e hepatites virais – é uma instância nacional de articulação do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde com os diferentes atores e parceiros da sociedade.

Na pauta da reunião, a proposta do edital 2018 para seleção de projetos de organizações da sociedade civil para realização de atividades de Prevenção Combinada e alusivas ao orgulho LGBT. Como explica a diretora do DIAHV, Adele Benzaken, “este é um compromisso firmado com os movimentos sociais que estamos atendendo”. “Buscamos incorporar as sugestões apresentadas, dentro das regras previstas no projeto de cooperação com a Unesco”, disse a diretora – acrescentando que “nosso objetivo é aumentar o número de projetos financiados, dando oportunidade para que mais instituições concorram e possam ter suas propostas contempladas”.

A construção dialogada com a sociedade civil também foi destacada pela representante da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Mariana Braga. “O documento que estamos apreciando é produto de várias discussões com representantes da sociedade civil – e demonstra o resultado de anos de cooperação técnica da Unesco com os movimentos sociais e o Ministério da Saúde”, disse. Para Mariana, o documento “mostra o compromisso do DIAHV com o diálogo e gestão transparente”. “Sem dúvida este foi um grande aprendizado – que, com certeza, iremos aproveitar no aprimoramento de novos editais”, afirmou.

A previsão é que o novo edital seja divulgado até o final de outubro. Entre as novas regras propostas na minuta, destaque para a mudança nos critérios de seleção de propostas, que passa a ser na modalidade de técnica e preço – o que significa dar maior peso à capacidade técnica de execução da proposta do que somente ao menor preço.

PREVENÇÃO COMBINADA – Como explicou a diretora do DIAHV,  o grande enfoque do edital é a Prevenção Combinada e todas as abordagens que constituem a mandala da Prevenção Combinada. “Vamos trabalhar cada uma das partes da mandala que são fundamentais para o enfrentamento do HIV e das hepatites – como, por exemplo, a eliminação da transmissão vertical da sífilis e do HIV, o incentivo ao aumento de cobertura de testagem e a vacinação da hepatite B”, disse.  

Como parte da estratégia da Prevenção Combinada, a inclusão de atividades voltadas ao enfrentamento das hepatites virais e à coinfecção tuberculose/HIV foram destacadas como positivas pela sociedade civil.

publicado em
26/09/2017 - 17:59