Curso sobre atualização de protocolos de hepatites virais reúne público ávido por inovações

Curso sobre atualização de protocolos de hepatites virais reúne público ávido por inovações

Curso sobre atualização de protocolos de hepatites virais reúne público ávido por inovações
Um dos destaques é nova evolução no tratamento da hepatite C

A atualização dos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas para hepatites virais foi tema de um concorrido curso entre as atividades do pré-11º Congresso de HIV/Aids e 4º Congresso de Hepatites Virais, nesta terça-feira (26), em Curitiba.

De acordo com a consultora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, HIV/Aids e Hepatites Virais (DIAHV) Elisa Cattapan – que abriu o evento – são três as principais inovações dos protocolos: a inclusão da associação medicamentosa 3D (ombitasvir, paritaprevir, ritonavir e dasabuvir) para pacientes portadores de hepatite C crônica genótipo 1; a expansão do acesso ao tratamento aos portadores de fibrose hepática F2 (grau de comprometimento hepático), sem necessidade de comprovar o tempo de diagnóstico; e a ampliação do tempo de tratamento com os medicamentos sofosbuvir e daclatasvir de 12 para 24 semanas em pacientes com diagnóstico de hepatite C crônica genótipo 3, com cirrose.

HEPATITE C TEM CURA – O Brasil, seguindo uma tendência mundial, registra uma enorme evolução no tratamento da hepatite C, com a incorporação, em 2015, de uma nova terapia inovadora e com altas taxas de cura, à base dos medicamentos sofosbuvir, daclatasvir ou simeprevir. Com a introdução dessa nova terapia nos últimos dois anos foram disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) 57 mil tratamentos para hepatite C, com taxa de cura de 95%.

publicado em
26/09/2017 - 16:29